sábado, 2 de maio de 2020

O Estádio Manoel Schwartz

Vamos conhecer a história do Estádio Manoel Schwartz (o popular estádio das Laranjeiras) através de fotos?

Os Primórdios do Estádio Manoel Schwartz

A primeira foto à equerda mostra o estádio do Fluminense em 1905. O Tricolor trabalhava no campo do terreno comprado desde 1903.

No início, apenas uma parte do estádio tinha arquibancadas e o restante do gramado era cercado por uma grande.

No lado oposto à rua Pinheiro Machado ficava a pequena sede social do Fluzão, como mostra a
segunda foto.

Com o passar do tempo, o futebol começou a atrair maior interesse da mídia e, consequentemente, da população carioca, que passou a pagar ingressos cada vez mais caros para assistir aos jogos.

Ao lado temos uma foto de uma partida em 1910. Repare a exuberância da Mata-Atlântica cercando o clube.

Com o dinheiro arrecadado, sem contar a renda vinda dos associados do clube e as receitas das outras modalidades esportivas, o Fluminense foi modernizando e ampliando sua principal praça esportiva.
A quarta foto, de 1914, já mostra o estádio lotado, as palmeiras imperiais e o Palácio da Guanabara.

O Fluminense era o maior clube da Guanabara, apesar da rivalidade com America e Botafogo, além do surgimento do Flamengo.

As Laranjeiras passariam a ser o palco das principais competições esportivas realizadas no Brasil, seja no futebol, sejam em outros esportes.

A quarta foto mostra a sede social ampliada, mais luxuosa, confortável e espaçosa. Ela ainda ficava atrás de um dos gols e só seria mudada para outra parte do clube anos depois. Esta imagem é de 1915.

A quinta foto mostra a arquibancada ampliada. Atrás dela, depois de uma futura modernização seria instalada a sede social da instituição, onde ainda reside até os nossos dias. Esta imagem também é de 1915.

A sexta foto é de 1919 e mostra a preparação do estádio para um partida internacional. A casa do Fluminense era onde a seleção brasileira mandava suas partidas e foi a sede das Copas América de 1919 e 1922.

Expansão Contínua do Fluminense


A esta altura do campeonato, o Fluminense já tinha os maiores estádios de natação, tênis e futebol do país, sem contar o seu moderno estande de tiro, que seria o local de treinamento de Guilherme Paraense e companhia antes da viagem para os Jogos Olímpicos de Antuérpia (Bélgica).

A foto de 1920 mostra a luxuosa fachada da sede do Fluminense. Parte dela ainda sobrevive na Cidade Maravilhosa. Uma parte considerável, porém, foi demolidada em razão da ampliação da Rua Pinheiro Machado. Além da arquibancada e da fachada, foi-se também algumas das bilheterias originais e os acessos ao estádio.

A foto seguinte mostra o anel completo e fechado das arquibancadas do Fluminense em 1920. Para se ter uma ideia da dificuldade em conseguir isso, até hoje, Flamengo (na Gávea) e Vasco da Gama (em São Januário) não conseguiram completar seus estádios, cem anos depois. Essa foto é curiosa, pois nela também é possível ver as quadras de tênis do clube. A sede social, já havia deixado o fundo do estádio sendo transferida para trás da arquibancada principal, que passou a ser chamada de social.

O Estádio Manoel Schwartz por outro ângulo em 1922 é o destaque da décima foto. O nome faz referência ao cartola que presidiu o Fluminense entre 1984 e 1987 e entre 1998 e 1999. Sob seu comando, o Pó de Arroz se sagrou campeão brasileiro de 1984 e campeão estadual de 1984 e 1985. O rebatizado da praça de esportes ocorreu em 2004.

Início da Decadência em 1950

A inauguração do Maracanã matou estádios que anteriormente viviam lotados: General Severiano, Campos Salles, Gávea, São Januário, Teixeira de Castro, Figueira de Mello, Rua Bariri, Caio Martins, Ilha do Governador, Proletário e Ítalo Del Cima perderam seus prestígios.

Demolição em 1961

Sabendo disso, o Governo da Guanabara negociou com o Fluminense a demolição da arquibancada atrás de um dos gols para a
ampliação da Rua Pinheiro Machado. Nesta época, o Fluzão jogava quase que sempre no Maracanã e o estádio nas Laranjeiras não atraia público como outrora.

Dias de hoje e o Futuro das Laranjeiras


A última foto é recente. O estádio ainda existe e é utilizado pelas categorias de base, pela equipe feminina e pelo time de futebol americano.

De vez em quando surgem ideias para não deixar este terreno enorme sub-utilizado. Já noticiamos uma proposta de se instalar ali quadras de tênis de grama.

Desde sua inauguração até o final dos anos 70, o Fluminense manteve no local sua pista de atletismo. O Tricolor tinha uma equipe forte deste esporte. Nos anos 80, porém, o time passou a treinar no saudoso estádio Célio de Barros, no Maracanã. 

Fonte das fotos: https://blogdobolt.com/

Nenhum comentário: